segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O tempo para o sonho




Ontem fui ao zoológico ver os golfinhos e tive muitas surpresas. Tudo estava muito bem feito, ver os animais foi realmente impecável. Pulavam soltos e divertiam-se com o público de crianças e adultos que lá estavam, numa trilha sonora brilhante em que os golfinhos e os leões marinhos acompanhavam o passo da dança, fazendo do meu domingo um lindo espectáculo de cores, alegria e aprendizagem. O show seguia com as palavras da apresentadora sobre a consciência que devemos ter em relação ao nosso planeta, com a ÁGUA e os ANIMAIS DAS ÁGUAS. Eu pude ter consciência que estou em Portugal há muito tempo, e ate já havia morado perto do zoo durante um ano e nunca tinha ido ver os golfinhos - apesar de já saber da realidade deles e ainda trazer de infância uma dor de um sonho não vivido: nunca pude ver os golfinhos de Miami, que visitavam o meu país, por falta de recursos. Mesmo assim, já adulta e com possibilidade financeira para ir, nunca lá chegava. Quando ouvi o grito das crianças diante daqueles animais maravilhosos, tive a grata recompensa de sentir a minha criança interna afagada e premiada por aquele momento mágico; ela trouxe-me, neste momento, uma consciência brilhante de que na realidade tudo na vida é possível, principalmente, se você determina a sua vida e objectiva as suas atitudes, as coisas podem acontecer no tempo certo. Por isso, é importante a paciência de esperar, mas ao mesmo tempo a compreensão de que os sonhos devem ser regados dia após dia, para que você ao longo da sua vida não se esqueça da sua criança interna - ela espera ainda ansiosa a sua entrega ao prazer e à compreensão real dos seus valores. É a criança que nos dá o sentido de continuarmos vivos e lutarmos contra o mal. É ela quem guarda os nossos heróis internos e a nossa capacidade de sermos nós mesmos, ou seja, a criança é a nossa coragem. Por isso, não espere: vasculhe dentro de você aquilo que você não pôde fazer ontem e já pode fazer hoje, e não ceda a esta mania de que isto é perda de tempo. O tempo que realmente vale a pena lembrar é o das vivências das coisas que um dia nos foram importantes e que não vivemos. Assim, alimente o seu melhor lado. Isso irá dar-lhe menos tempo para sofrer e lamentar o que você acha que não pode fazer. Bom passeio com a sua criança interna, ela merece e você também.

Sussuca Ferreira


Nota: Caso queira me contactar, deixe um comentário ou envie e-mail para: sussucakferreira@gmail.com

4 comentários:

Alexsandar disse...

Não tenho palavra pra dizer como seu ultimo texto veio no momento certo pra mim....Como sempre, até de longe consegue ajudar com suas sabias palavras as pessoas. Obrigada e saiba que sinto muitas, muitas saudades.Bjs Alexsandar Galvão - sua eterna aluna rss

SatiroRJ disse...

Mestra!
Aguarde... meus questionamentos tiraram férias, mas se cansaram de esperar...rs...
Beijos,
Tércio Rodrigo de Azevedo Lima
Rio de Janeiro, RJ - Brasil

h disse...

Sussuca este texto vem de encontro à uma decisão que tomei justamente esta semana. Voltar a estudar sem perder mais tempo em desculpas. É agora o tempo. Tenho falado muito no meu Karma da criança, tenho me empenhado para mantê-la viva e alegre. EStou chegando lá, cada vez mais com responsabilidades.
Obrigada por tudo.
Hélida

helena freitas disse...

Li o livro Astrologia Kármica e gostaria muito de colocar umas questões à Sussuca:
-Porque é que o dharma de um Karma coincide com o AntiKarma do mesmo?
- Esta situação acima pode corresponder a uma alma gémea. Por exemplo, O Karma da Disciplina tem como Dharma o Karma da Saúde. Mas por sua vez, o Karma da Saúde tem outro Dharma (Karma do objectivo) e tem como AntiKaarma precisamente o Karma da Disciplina.Como explica isto????? Helena Freitas, POrtugal,hpsfreitas @gmail.com